1

À espera


Muito se diz sobre vaidade, mas aonde fica a auto estima minha gente?
Vou contar pra vocês por que eu me cuido: por que eu gosto de me sentir bem! Isso se refere a mim e a mais ninguém... é importante, digo, é bom ouvir um elogio da pessoa que você gosta, é bom estar de bem com a vida, é bom inovar, é bom. Por isso passei a ignorar comentários muitas vezes invejosos sobre mim e minha vaidade.
Estava passeando por uns blogs queridos quando encontrei esse texto lindíssimo que não podia deixar de compartilhar. Quer mais textos? Tem de tudo no Moda Custom, dá uma passadinha lá!



"Ontem, antes de dormir, ela pensou: “Amanhã é o dia! O dia em que eu vou acordar cedo e reservar um tempo para que tudo seja diferente. Vou amarrar o cabelo como vi na capa daquela revista, vou passar o delineador como o da Audrey Hepburn, que sempre achei tão lindo. Não interessa o que os outros vão pensar, mas amanhã o meu vestido de bolinhas sai do armário. E quem sabe não coloco aquele colar novo também... Com certeza, vai ficar lindo!”
Mas ao acordar, ela tomou o mesmo café com leite de toda manhã, pois não estava disposta a provar o novo chá de uma fruta exótica com aroma de pétalas de flores de nomes difíceis que havia comprado.
Depois de prender o cabelo, se olhou no espelho e achou a cabeça meio grande, estranha: “Se minha cabeça fosse menor, como a da modelo da revista, esse cabelo teria ficado bom em mim”. Soltou o cabelo, como em todos os dias, e tentou prosseguir com o restante do plano da noite anterior.
Tirou o vestido de bolinhas do armário, olhou para ele e teve certeza que ficaria ótimo com o colar e o delineador. Mas depois de vesti-lo e colocar o colar, pensou que fosse informação demais, que chamaria muita atenção. Tirou o colar mas partiu em frente para o delineador. Depois da make pronta percebeu que estava um tanto diferente – “O que os outros vão pensar?? Nunca saio maquiada...” – na dúvida, correu para o demaquilante.
No final das contas, olhou para o vestido de bolinhas e achou um tanto exagerado. Pensava se fazia sentido usá-lo, já que iria aos mesmos lugares, fazer as mesmas coisas que sempre fazia de jeans e blusa. Tirou o vestido e guardou para uma ocasião diferente, que fosse à altura de uma mudança, afinal, ele só estava há dois anos no armário, logo iria aparecer algum lugar para usá-lo.
Andando na rua, indo para o trabalho passou por algumas mulheres com as quais ela queria se parecer um dia, quando tivesse lugares importantes para ir: “Essas mulheres devem trabalhar em lugares muito legais e fazer coisas super sofisticadas todos os dias; não é o meu caso”.
Ela não chegou a prender o cabelo como o da revista, usar o delineador, o vestido de bolinhas ou o colar novo. Também não foi ao happy hour combinado de última hora entre os colegas do trabalho e não teve oportunidade de conversar com aquele colega, pelo qual sentia algo especial.
Sua vida se manteve cheia de jeans e blusas - e o vestido de bolinhas, o colar e o delineador, assim como todos os dias que ela esperava que fossem diferentes, continuaram no armário, à espera." - Ana Loureiro.
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Olá!
    Ameeei o post e o seu blog!
    Se puder dá uma passadinha no meu e deixa um comentário?
    Meu mundo, Meu quarto

    ResponderExcluir

Comentem leitores lindos dessa casinha,
vou adorar ler *-*